Festival Internacional de Cinema de Arquitetura abre inscrições. Veja como participar

O ARCHcine mantém parcerias internacionais Fotos: Divulgação

Estão abertas, até 6 de setembro, as inscrições para o 5º ARCHcine 2020, o Festival Internacional de Cinema de Arquitetura. Será realizado em novembro e terá uma Mostra Competitiva Internacional, além de outras fora da competição. Poderão participar filmes em curta, média e longa-metragem que retratem a cidade, arquitetura, paisagem ou ambiente construído. São aceitas obras produzidas em qualquer suporte, gênero ou formato, sem restrição quanto ao ano de realização.

Pioneiro no Brasil na abordagem da arquitetura e do urbanismo através do cinema, o evento é chancelado como parte da programação oficial que celebra o título de primeira Capital Mundial da Arquitetura, concedido à Cidade do Rio de Janeiro pela UNESCO em parceria com a União Internacional de Arquitetos (UIA).

– Mesmo mantendo realizações fora do Rio, o Archcine foi gerado para refletir sobre essa cidade que tanto amamos. Portanto, é uma honra estarmos inseridos na programação oficial que celebra o título de Capital Mundial da Arquitetura. A parceria engrandece muito o festival, em todos os aspectos -, comenta Diogo Leal (na foto do alto), diretor do Archcine.

O ARCHcine já apresentou mais de 100 filmes do Brasil e do exterior, consolidando-se como uma importante plataforma de difusão  udiovisual sobre o tema no país. Além de sua realização permanente no Rio de Janeiro, o festival já teve edições realizadas em Brasília e São Paulo, em 2018 e 2019, respectivamente.

Troféus de vencedores de edição passada

– Em função da pandemia, esta edição será totalmente em formato online, mantendo as Mostras Competitivas, sessões fora de competição, debates e homenagens. O formato de exibição na internet nos permite alcançar novos públicos e estamos trabalhando de forma muito cuidadosa para oferecer uma programação com grandes atrações -,  acrescenta Diogo.

O festival apresenta anualmente a mais recente safra de filmes sobre o tema. São destacadas produções com temáticas sobre arquitetura, urbanismo e seus mais diversos segmentos, como a formação das cidades, mobilidade, ocupação de territórios, patrimônio material e imaterial, movimentos paisagísticos, dentre outros.

ARCHcine já apresentou mais de 100 filmes do Brasil e do exterior

O ARCHcine mantém parcerias internacionais, com o Arquiteturas Film Festival Lisboa e com o movimento Filmessay (Itália), além da parceria nacional do Move Cine Arte. Tais parceiros garantem anualmente a presença de grandes filmes no ARCHcine, além de fomentar o diálogo entre produtores e realizadores.

– Nossos parceiros estão conosco desde a primeira edição, o que nos felicita enormemente. Este ano, haverá ainda a segunda edição do Prêmio Arquiteturas, que garante a seleção do Melhor Curta Brasileiro na avaliação do festival português para sua próxima edição, em 2021 -, explica o diretor.

O festival é associado ao Fórum Nacional dos Organizadores de Eventos Audiovisuais Brasileiros – Fórum dos Festivais e conta com o apoio institucional do Instituto de Arquitetos do Brasil-IAB/RJ e da FACHA – Faculdades Integradas Hélio Alonso. O ARCHcine é uma realização do IBEFEST – Instituto Brasileiro de Estudos de Festivais Audiovisuais.

Acesse o regulamento e a ficha de inscrição do 5º ARCHcine 2020:

http://archcine.com
Data final: 6 de setembro
Regulamento: http://archcine.com

Mais informações:
archcinefestival@gmail.com

https://www.facebook.com/archcinefestival

Instagram: @archcinefestival

PREMIADOS EM EDIÇÕES ANTERIORES:
2019 – 4ª edição:

– Melhor longa: “Indianara, de Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa” (França-Brasil).
– Melhor curta: “Marielle e Monica”, de Fábio Erdos (UK-Brasil).
– Prêmio Arquitecturas (curta): “Enraizada”, de Tiago Delácio (Brasil/PE).
– Menção Honrosa (longa): “GIG – A Uberização do Trabalho”, de Carlos Juliano Barros, Caue Angeli, Maurício Monteiro Filho (Brasil).
2018 – 3ª edição:
Melhor longa: “Outro Rio”, de Émilie B. Guérette (Canadá-Brasil).
Melhor curta: “Entremarés”, de Anna Andrade (Brasil/PE).
Prêmio Arquitecturas (curta): “Vidas Cinzas”, de Leonardo Martinelli (Brasil/RJ).
Menção Honrosa (curta): “Casca de Baobá”, de Mariana Luiza (Brasil/RJ).

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin